Notícias

1 04/04/2017 11:10

Em entrevista na manhã desta terça-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou sobre as eleições no PT, sobre o julgamento da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, fez duras críticas ao PSDB e voltou a chamar de golpe o impeachment de Dilma Rousseff.

Com roupa de ginástica, após realizar exercícios físicos, Lula garantiu ao programa de Geraldo Freire, na Rádio Jornal, que o nome de Gleisi Hoffmann está 90% certo para presidir o Partido dos Trabalhadores.

"Ontem eu estive em uma reunião da principal corrente política do partido, mostrei para eles a importância de mantermos a unidade da sigla com todas as forças políticas, hoje conversarei com o senador Lindbergh Farias (que também é candidato) e outros nomes, e espero que a gente chegue no congresso do PT altamente unificado, para construir a fortaleza do partido para a disputa presidencial em 2018", disse.

Lula também falou sobre o jolgamento da chapa Dilma-Temer. "Eu espero que os ministros que vão julgar o caso, com base nos autos do processo, tomem a decisão acertada. Eu estou convencido da inocência da Dilma, até pq a Justiça Eleitoral já aprovou as contas dela e já aprovou as contas do Temer", pontuou.

Ele também criticou a postura do PSDB, que entrou com a ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "Eu acho que o PSDB tentou fazer um carnaval logo depois que perdeu as eleições de 2014. Não tem procedimento essa queixa do PSDB".

Ao ser questionado se concordava com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que defendeu as eleições indiretas em entrevista à Folha de S. Paulo desta terça-feira (4), Lula disse que sim, mas antes alfinetou o tucano.

"O que eu acho que está acontecendo com o Brasil é que as pessoas que deram o golpe não estão sabendo o que fazer com o país. As pessoas afirmaram que o problema era a Dilma e o PT, mas um ano do impeachment o Brasil está pior".

E depois completou: "Mas concordo que seria importante convocar as eleições diretas o mais rápido possível. É preciso que a gente tenha um presidente eleito democraticamente para o país volta a ter credibilidade, para as instituições voltarem a funcionar e para o Brasil andar para a frente".

Sobre o governo Temer, ele disse que que o Brasil vive uma crise de credibilidade. "Tem um componente na política que chama-se credibilidade. Se você tem um governo que não goza de credibilidade junto ao povo, às instituições, aos empresários e à mídia internacional, nada do que esta autoridade presidencial decida tem valor".

Questionado a respeito da sua candidatura em 2018, o ex-presidente foi cauteloso. "Eu estou na expectativa".

Notícias ao Minuto







Rua Tiradentes, 30 – 4º Andar – Edf. São Francisco – Centro - Santo Antônio de Jesus/BA. CEP: 44.571-115
Tel.: (75) 3631-2677 | 3631-2924 | 3631-9500 | 9 9968-9004 (Whatsapp) - Definitivamente a melhor.
© 2010 - Rádio Andaiá FM - Todos os direitos reservados.